Advertise Here Advertise Here
Want to advertise here? Get started for as little as $5
Cores que não vejo

Cores que não vejo

A Poem by Irene Chemin
"

Baseado no poema: As cores que não vejo (http://www.flickr.com/photos/hugazombie/7159848474/in/photosof-photosarenotallowed/).

"
Não via as cores
Triste cidade preta e branca
de um degradê sem graça

Confuso por não saber
se o frio que sentia era da noite chegando
ou do coração que ainda insistia em bater

Só via as luzes
bailando
na sua janela

E se nunca mais vir o sol dourado num céu azul pela manhã?
E se nunca mais puder pintar uma aquarela?

E se for você chegando e eu achar que não passa de uma sombra
daqueles que me assombra
quando sinto tua falta?

E se não conseguir mais ser feliz
nem pintar o meu nariz
nem cheirar uma flor-de-lis
nem curar minha cicatriz
e ficar pra sempre assim, meio infeliz?

E se eu ficar pra sempre nesse vazio
cheio de cores
que não vejo?

© 2012 Irene Chemin



My Review

Would you like to review this Poem?
Login | Register




Request Read Request
Add to Library My Library
Subscribe Subscribe


Stats

87 Views
Added on August 7, 2012
Last Updated on November 30, 2012

Author

Irene Chemin
Irene Chemin

Brasília, DF, Brazil



About
“A alma experimenta, portanto, um “anseio amoroso” de retornar à sua verdadeira morada. A partir de então, ela passa a perceber o corpo e tudo o que é sensorial .. more..

Writing